sábado, 11 de dezembro de 2010

Cacique e Pajé

"No início nossa dupla sofreu muito preconceito. Nossa gravadora marcava entrevista nos programa de televisão e, quando a gente chegava com essa rôpa de Índio, a gente era discriminado. A gente ia cantá só de tanga e cocar, mas a produção dos programa num permitia nóis apresentá como Índio. Tinha que pô calça comprida, camisa.. O Boldrin num dexô nóis cantá de cocar no programa dele..." (Antônio B. de Alvarenga, o Cacique, entrevistado pela Revista Viola Caipira),


Cacique e Pajé - Dupla sertaneja formada por Antônio Borges de Alvarenga (Monte Aprazível SP 1935—), o Cacique, e Roque Pereira Paiva (Bocete SP 1936—São Paulo SP 1994), o Pajé.

Antônio iniciou carreira em 1968, formando várias duplas, com outros nomes artísticos: Peixoto e Peixinho (João Rodrigues), que gravou pela Centenário um compacto duplo com Violeiro franco (da dupla); Peão Campeiro e Rei do Gado (Antônio), que gravou em 1970 um LP na Califórnia com destaque para Arrependida (Garcia e Zé Matão); João Ferreira e Rei do Gado, que gravou em 1971 na Fermata; João Ferreira e Ferreirinho (Antônio), nome adotado para não confundir com a antiga dupla João Ferreira e Ferreirinha.

Em 1977, já com o parceiro Roque, mas com o nome artístico de Rei do Gado (Antônio) e Boiadeiro (Roque) — e o pseudônimo de Índios Caiapós — gravou pela etiqueta Sonora um LP, cujo destaque foi Rancho quarto de milha

Em 1978, a dupla se oficializou como Cacique e Pajé, gravando o primeiro LP na Chantecler, com Pescador e catireiro (Cacique e Carreirinho). 

Em 1979 lançaram o segundo LP, destacando-se Caçando e pescando (Cacique e Tangará) e Deixa o índio em paz (Cacique e Capitão Furtado) e, no ano seguinte, saiu o terceiro, com destaque para Poemas das cordas (Paulo Gaúcho e Zé Raimundo), todos os três com o nome de Cacique e Pajé. 

Em 1981 lançaram o LP Os índios e a viola, com realce para Mosca branca (Cacique e Jesus Belmiro); em 1982, lançaram o quinto LP, cuja música-título e destaque foi As flores e animais (Paraíso e José Fortuna). 

Em 1983 sairam o sexto e o sétimo LPs: Cadê o gato, salientando-se a música-título, de autoria da dupla, e O sertão, com destaque para Viola no samba (Rei do Mar e Cacique). 

O oitavo LP saiu em 1985, sobressaindo-se a música-título Peão sabido (Cacique e Nhô Véio). No mesmo ano, Pajé adoeceu, e a dupla só voltou a gravar em 1989, na RGE, destacando-se então Inquilina de violeiro (Cacique, João Gonçalves e Thomaz). 

Em 1994, Pajé faleceu em São Paulo. Em 1995, Cachoeira (José Pereira de Sousa), violeiro conceituado, assumiu o lugar de Pajé na gravação de um LP, etiqueta Disco de Ouro, com destaque de Barreto não faz feio (Cacique, Lourival dos Santos e João Macedo). 

CD 

O som da terra, 1994, Continental 450998364-2. 

Fonte: Enciclopédia da Música Brasileira - Art Editora - PubliFolha.

Nenhum comentário: