quinta-feira, 16 de dezembro de 2010

Chrystian e Ralf



Chrystian e Ralf - Dupla sertaneja formada pelos irmãos José Pereira da Silva (Goiânia GO 1956—) e Ralf Richardson da Silva (Goiânia  GO 1960—).

O primeiro disco da dupla saiu em 1971, um compacto da RCA com o nome Os pássaros, em que cantavam uma versão do sucesso pop espanhol Un rayo de sol.

Em 1973 Chrystian entrou num plano de vendas da gravadora Top Tape que lhe valeu enorme sucesso mas nenhum estrelato (e também nenhum dinheiro).

Ralf também gravou muitas dessas músicas em inglês, sob vários nomes (inclusive em dupla como irmão, Charles & Ralf), até que no início da década de 1980, resolveram se assumir como pop-sertanejos, na RGE (para a qual gravavam em inglês desde cerca de 1975), chegando a merecer o primeiro CD sertanejo a ser gravado, a coletânea Convite para ouvir Chrystian & Ralf, RGE, 1988.

Em 1990 foram para a Chantecler, colecionando sucessos como a rancheira Vida dividida (Roberta Miranda), além de reviver em seus discos alguns clássicos de raiz como a catira Ladrão de mulher (Vieira eVieirinha) e Ferreirinha (Carreirinho).

Em 1995, completando 11 anos de carreira, já tinham recebido dez discos de ouro, cinco de platina e um de diamante. Ainda nesse ano, lançaram o disco Prazer por prazer, pela Continental, que traz a faixa-título assinada por Carlos Randall e Danimar, além de Desejo de amar (Barriga e Chrystian), Esse amor que me mata (César Augusto e Piska), Em busca de mim, Machucando o coração (ambas de Domiciano e Rio Negro), Na luz deste sol (Let’s get together, dos Youngbloods, versão de Serginho Sá) e Inspiração cabocla (Marcix Fátima Romero), com participação do violoncelista Jacques Morelembaum, entre outras.

O ano de 1997 ficou marcado como o da consagração da dupla com o lançamento do disco da Continental Sozinho em Nova York, graças a Minha Gioconda (Vicente Celestino) — participação de Agnaldo Rayol e da Orquestra Sinfônica de São Paulo —, incluída na trilha sonora da novela O rei do gado, da TV Globo.

O disco abre com No mesmo olhar (folclore francês adaptado por Apollo Washington), contendo ainda De cara cheia (Domiciano e Rio Negro), Por aí sem você e Solidão no seu lugar (ambas de Carlos Randall e Danimar), É só dizer o preço (César Augusto e Piska), Loucura final (Deuslene O. Carrijo e Roxim de Goiás) e a faixa-título de Chrystian, Ralf e Reinaldo Barriga, entre outras.

Em 1999, lançaram o CD Estação Paraíso. Em 2000, Chrystian e Ralf tiveram duas gravações: Olhos de luar do compositor Carlos Colla, e O que tiver de vir, virá de Augusto César e César Augusto, selecionadas para integrar a coleção Chão Brasil produzida pelo grupo MPE Agromon S/A- MT, representando musicalmente, entre outros, a região Centro-Oeste. Nesse mesmo ano, dupla separou-se após 16 anos de carreira, 14 discos gravados, muitos recordes de vendagem.

Em 2001, Crystian e Ralf, lançaram o CD De volta, marcando o retorno da dupla e passando a fazer shows pelo Brasil. Em 2003, foram entrevistados no programa Mais você, de Ana Maria Braga, na TV Globo, falando da excursão recente ao Japão, e anunciando próxima viagem ao Japão e à Europa.

Em 2004, lançaram o CD/DVD/VHS Acústico que foi gravado em 1998, no Teatro Mars, em São Paulo. O disco traz repertório eclético que vai de baladas como Sou Eu (Entre ela e eu), Desejo de amar, Chora peito e Cheiro de shampoo, entre outras, passando por pop rocks como Oito segundos, O que tiver de vir virá e o hit da dupla Nova York. São destaques "Sensível demais", de Jorge Vercilo e a releitura de Yolanda, versão de Chico Buarque para a composição de Pablo Milanez. 

Fontes: Enciclopédia da Música Brasileira - Art Editora e Publifolha - 2a. Edição - 1998; Dicionário Cravo Albin da MPB.

Nenhum comentário: