quinta-feira, 30 de dezembro de 2010

Flor da Serra e Pinheiral


Flor da Serra e Pinheiral - Dupla sertaneja formada por Valdemar Banhos, o Flor da Serra (Alfenas MG 1934—), e Gumercindo Nogueira Galvão, o Pinheral (Ipuiúna MG 1934—Poços de Caldas MG 1994).

A dupla encaminhou-se para a profissionalização e 1958, por ocasião das eliminatórias do torneio Roda de Violeiros, na Rádio Cultura de Poços de Caldas MG estreando em disco em 1960, na Chantecler, com Drama da vida (Flor da Serra e Benedito Seviero) e Sabiá graúna (Pinheiral e Moreno). 

No ano seguinte, a dupla lançou pela mesma gravadora Abraçando a taça (Flor da Serra e José Russo) e Relógio velho (Pinheiral e Paladino), cantando então na Rádio Nacional de São Paulo SP. 

Seu primeiro LP, de 1962, sempre pela Chantecler, incluia Bênção de mãe (Flor da Serra), Quinze de novembro (Pinheiral e Biguá), Rodeio de Patos de Minas (Teddy Vieira e Pinheiral) e a regravação de Drama da vida, seu grande sucesso em 78 rpm. Nesse mesmo ano a dupla lançou um segundo LP, no qual se destacava, além da regravação de Relógio velho, Eterno apaixonado (Mário Borges e Borandi). 

Em 1967 alcançou sucesso com novo LP, incluindo Está na cara (Augusto Toscano e Flor da Serra), que deu título ao disco, e ainda Viver de saudade (Flor da Serra), O circo chegou (Augusto Toscano) e Triângulo amoroso (Jorge Paulo e Nilo). 

Além da Rádio Nacional, de São Paulo, a dupla atuou na Rádio Record e na Nove de Julho, apresentando-se ainda no programa Canta Viola, na TV Record, de São Paulo, e também nas TVs Tupi e Bandeirantes. 

A dupla separou-se em 1972, após a gravação do LP Amor de estudante, pela Polygram. 

Em 1976 Flor da Serra gravou o LP Mineiro do pé quente, em dupla com Belmiro, destacando-se a faixa- título de Lourival dos Santos e Tião Carreiro. Formando outra dupla com Santarém, Flor da Serra gravou em 1976 um LP com Franca de boiadeiro (Flor da Serra e Dorival), Quarto de pensão (Flor da Serra e Benedito Seviero) e Guarda-roupa vazio (Flor da Serra) e, em 1982, o LP Flor da Serra e Santarém, com destaque para a música Maldito divórcio (Flor da Serra e Jean de Carvalho). 

Flor da Serra continuou sua carreira como compositor — fornecendo músicas para várias duplas —, cantor, repentista e apresentador da dupla Tião Carreiro e Pardinho. Foi produtor musical do programa Rincão brasileiro, da TV Bandeirantes, de 1983 a 1988. 

Fonte: Enciclopédia da Música Brasileira - Art Editora e Publifolha - 2a. Edição - 1998.

Nenhum comentário: