quinta-feira, 16 de dezembro de 2010

Compadre Moreira



Compadre Moreira (Valdemar Moreira), cantor, compositor e humorista, nasceu em Cândido Mota, SP, em 4/1/1933. Contando piadas e cantando, recebeu aos sete anos, em Cornélio Procópio PR, seu primeiro convite para formar uma dupla sertaneja.

Com Jesus Carmona, seu primeiro parceiro, constituiu mais tarde uma dupla contratada pelo circo Nhô Fio, em que permaneceu por dois anos. Em Assis SP, trabalhou com o companheiro na Rádio Difusora até 1944, ano em que os dois foram convidados para se apresentarem na Rádio Bandeirantes, de São Paulo SP.

Seis anos mais tarde, conheceu Adelaide, com quem casou. Formaram o trio Moreira, Fio e Adelaide, sendo ela a princípio acordeonista, depois parceira em diálogos cômicos.

Ele e Adelaide foram se firmando e, em 1967, lançaram pela Chantecler um LP de piadas e canto, incluindo a composição de maior sucesso do cantor, A canção do passarinho.

Dois anos mais tarde gravaram novo disco com Dança comprida (Francisco Lacerda e Ricarda Jardim), O caloteiro (com Luís de Castro) e o solo de Adelaide Minissaia do sertão.

Em 1970, sempre pela Chantecler, lançou no LP O rei dos xerifes, um de seus números preferidos, Eu só sei fazer pelota (com Zé Matuto); o disco incluiu ainda um solo de Adelaide, Queimadinha (de sua autoria).

No ano seguinte gravou o disco O xerife da pistola de ouro, com músicas e alguns números cômicos, seguido de outro em 1972, com Santa crioula da pensão (Edward Di Marchi) e Xote das formigas (Sidney Wyss Barreto).

Viajando com seu circo pelos Estados de São Paulo, Paraná e Mato Grosso, atuou também em programas da TV Record e da TV Gazeta, de São Paulo. Ainda em 1972, recebeu convite da Rádio Globo, do Rio de Janeiro, para atuar ao lado de Edgar de Sousa e Carlos Alberto no programa Linha Sertaneja.

Em 1974 gravou o LP Bang-bang do outro mundo, reunião de músicas de terror, brigas de defuntos etc., incluindo o sucesso A cartilha musical (com Nhô Pai).

Lançou pela Chantecler, em 1975, o LP O Rei do riso vol. 3, coletânea de piadas e músicas, e, em 1977, LP com as músicas Segura o bode e Não quero morrer encalhado (ambas com Zé Bétio), entre outras.

Em 1979 passou para a gravadora Globo, lançando o LP Um jeca na discoteca, com destaque para Zé Preguiça, personagem que interpretou no filme Chumbo quente (1977), de Cleri Cunha.

Em 1981, na Tocantins, gravou um compacto com as músicas Meu sabiá e Égua preta (Atílio Versati e Jeca Mineiro) e Meu berro (sua autoria).

Em 1985 seus filhos Edson e Adelson compraram um circo — o Internacional Granero Circus — e ele abandonou o rádio. Em 1995 mudou-se para Curitiba PR, onde reside.

Fonte: Enciclopédia da Música Brasileira - Art Editora e Publifolha - 2a. Edição - 1998.

Nenhum comentário: